Glândula pineal preciosa “antena” de contato com a alma

Muitos afirmam que ela representa a “união” do corpo e da alma… A glândula pineal é uma estrutura com o tamanho aproximado de um grão de arroz cozido, localizada na porção mais central da nossa cabeça. Relativamente pequena no tamanho, mas extremamente grandiosa no que tange à conexão com a mediunidade e a plasticidade espiritual.

A ciência está muito próxima de confirmar essas informações, hoje desenvolvendo estudos e analisando as potencialidades dessa glândula como notável órgão sensorial para a percepção e comunicação com o plano espiritual.


Para maiores esclarecimentos nesse campo, da associação da pineal com a mediunidade, recentemente conversamos com o médico cirurgião Décio Iandoli Júnior, presidente da Associação Médico-Espírita do Mato Grosso do Sul, um dos especialistas no assunto. Aqui temos, portanto, um importante convite à reflexão.


– O que é a glândula pineal? Onde precisamente ela se localiza e qual sua função físico-orgânica?

Décio Iandoli Júnior – A glândula pineal é uma estrutura com o tamanho aproximado de um grão de arroz cozido, com um peso aproximado de 0,5 gramas, e que está localizada na porção mais central da nossa cabeça, chamada pelos médicos de diencéfalo. A função da glândula ainda não está totalmente definida pela ciência, mas já se sabe que está relacionada com a cronobiologia, ou seja, com a regulação dos nossos ciclos biológicos.


– Muitos afirmam que a glândula pineal representa a “união” do corpo e da alma… Basicamente, seria a “centro” de nosso relacionamento e intercâmbio com outras dimensões. Enfim, espécie de “terceiro olho”, literalmente. Essas afirmações são reais?

Décio Iandoli Júnior – Nostradamus e René Descartes já citavam a pineal como uma antena ou ponto de contato com a alma; na literatura espírita, temos o texto de André Luiz que nos relata o trabalho da “epífise”, nomenclatura antiga para a pineal, como estrutura fundamental para a mediunidade, nosso órgão sensorial para a percepção e comunicação com o plano espiritual.


A ciência está muito próxima de confirmar essas informações, pois já existem trabalhos que mostram a ação da pineal em “estados de consciência alterada”, como a meditação, além de confirmações da pineal como estrutura receptora ou sensorial, sendo capaz de perceber campos eletromagnéticos.

O estudo da mediunidade ainda está começando e, temos certeza, em breve teremos novas evidências científicas que mostrem essa importante função da pineal.


– Como estimular e dar bom uso a essa preciosa concessão divina, a glândula pineal?

Décio Iandoli Júnior Como todas as nossas funções fisiológicas, ou seja, através do exercício, da repetição, do treino, lembrando que aquele que nasceu com a predisposição genética alcançará resultados mais significativos. Se levarmos dois meninos para treinar futebol, e os dois se dedicarem da mesma maneira aos treinos, os dois vão se tornar melhores jogadores. Entretanto, a habilidade inata de um e de outro pode fazer com que tenhamos um craque e um jogador mediano.


Frequentar reuniões mediúnicas, prestar atenção nas suas percepções e estar aberto para as – muitas vezes bem sutis – mensagens do além podem permear vias neurais que aumentem nossa percepção mediúnica, dentro das características de cada um de nós.


Seguir sempre as instruções do Mestre Jesus. Trabalharmos com afinco para nos tornarmos verdadeiros cristãos, ou, pelo menos, lutarmos contra as nossas más tendências, orando e vigiando para sermos melhores pessoas a cada dia. Mesmo que o progresso seja milimétrico, avançar já é melhor do que estar parado.


Da Redação/ Revista do Espiritismo

*Para mais informações: a íntegra desta matéria encontra-se na edição nº 7 da Revista do Espiritismo.

⦿ Endereço: Estrada da Boiúna, 1367 - Taquara, RJ 22723-021

☏ Contato: (21) 3539-9550

Todos os direitos reservados - Lar de Frei Luiz | Desenvolvido por Contraste Propaganda